Juros nominais pagos sobre a dívida pública consolidada brasileira atingiram R$ 776,3 bilhões (7,0% do PIB) nos últimos 12 meses até abril

Valor pago de juros é recorde desde quando se iniciou a série, em 2002

No acumulado em doze meses, o déficit nominal alcançou R$ 1.042,8 bilhões (9,41% do PIB), ante déficit nominal de R$ 998,6 bilhões (9,06% do PIB) em março de 2024

Carlos Alberto Teixeira de Oliveira*

  1. Resultados fiscais

O resultado primário do setor público consolidado foi superavitário em R$ 6,7 bilhões em abril, ante superávit de R$ 20,3 bilhões no mesmo mês de 2023. O Governo Central registrou superávit de R$ 8,8 bilhões, e os governos regionais e as empresas estatais, déficits respectivos de R$ 1,4 bilhão e de R$ 698,0 milhões. Em doze meses, o setor público consolidado acumulou déficit de R$ 266,5 bilhões, equivalente a 2,40% do PIB e 0,11 p.p. superior ao déficit acumulado nos doze meses até março.

Os juros nominais do setor público não financeiro consolidado, apropriados por competência, somaram R$ 76,3 bilhões em abril de 2024, comparativamente a R$ 45,8 bilhões em abril de 2023. Esse crescimento foi influenciado pelo resultado das operações de swap cambial no período (ganho de R$ 14,2 bilhões em abril de 2023 e perda de R$ 11,2 bilhões em abril de 2024). No acumulado em doze meses até abril deste ano, os juros nominais alcançaram R$ 776,3 bilhões (7,00% do PIB), comparativamente a R$ 659,5 bilhões (6,33% do PIB) nos doze meses até abril de 2023.

O resultado nominal do setor público consolidado, que inclui o resultado primário e os juros nominais apropriados, foi deficitário em R$ 69,6 bilhões em abril. No acumulado em doze meses, o déficit nominal alcançou R$ 1.042,8 bilhões (9,41% do PIB), ante déficit nominal de R$ 998,6 bilhões (9,06% do PIB) em março de 2024.

  1. Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) e Dívida Bruta do Governo Geral (DBGG)

A DLSP atingiu 61,2% do PIB (R$ 6,8 trilhões) em abril, elevando-se 0,1 p.p. do PIB no mês. Esse resultado refletiu em especial os impactos dos juros nominais apropriados (aumento de 0,7 p.p.), do ajuste de paridade da dívida externa líquida (aumento de 0,2 p.p.), da desvalorização cambial de 3,5% no mês (redução de 0,4 p.p.) e da variação do PIB nominal (redução de 0,3 p.p.). No ano, a DLSP elevou-se 0,3 p.p. do PIB, em função sobretudo dos impactos dos juros nominais (aumento de 2,6 p.p.), do ajuste de paridade da dívida externa líquida (aumento de 0,2 p.p.), do efeito do crescimento do PIB nominal (redução de 1,2 p.p.), do efeito da desvalorização cambial de 6,8% acumulada no ano (redução de 0,8 p.p.) e do superávit primário acumulado (redução de 0,6 p.p.).

(Imagem: Poder360 | Reprodução)

 

A DBGG – que compreende Governo Federal, INSS e governos estaduais e municipais – atingiu 76,0% do PIB (R$ 8.400,0 bilhões) em abril de 2024, aumento de 0,3 p.p. do PIB em relação ao mês anterior. Essa evolução no mês decorreu dos juros nominais apropriados (aumento de 0,6 p.p.), do efeito da desvalorização cambial (aumento de 0,1 p.p.), do resgate líquido de dívida (redução de 0,1 p.p.) e da variação do PIB nominal (redução de 0,4 p.p.). No ano, o aumento de 1,6 p.p. do PIB decorre principalmente da incorporação de juros nominais (aumento de 2,5 p.p.), da desvalorização cambial (aumento de 0,3 p.p.), da emissão líquida de dívida (aumento de 0,2 p.p.) e do crescimento do PIB nominal (redução de 1,5 p.p.).

Considerando-se esse resultado, e com a incorporação de cerca de R$ 15 bilhões de gastos extraordinários no governo central relacionado à calamidade no Rio Grande do Sul, a projeção da LCA Consultores Econômico  para o resultado primário do setor público consolidado em 2024 é de -R$ 76 bilhões (-0,7% do PIB). 

A dívida bruta do governo geral deve terminar o ano em 78,9% do PIB (+4,4 p.p.) e a dívida líquida do setor público, em 65,7% do PIB (+4,8 p.p.). A elevação será causada, fundamentalmente, pelo déficit primário e os juros nominais.

 

Ressalto, ademais, que já há muito tempo, o maior inimigo e que mais conspira contra o desenvolvimento nacional, em todos os seus setores, tem sido a política monetária adotada pelo país contemplando uma escandalosa taxa de juros real praticada, considerada elevadíssima e campeã absoluta em termos mundiais. 

A taxa média real da SELIC – isto é – deflacionada pelo IPCA alcançou, em 2023, o maior nível desde 2006, conforme tabela apresentada a seguir:

 

(Imagem: Poder360 | Reprodução)

*Carlos Alberto Teixeira de Oliveira é Administrador, Economista e Bacharel em Ciências Contábeis, com vários cursos de pós graduação no Brasil e exterior. Ex-Executive Vice-Presidente e CEO do Safra National Bank of New York, em Nova Iorque, Estados Unidos. Ex-Presidente do BDMG-Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais e do Banco de Crédito Real de Minas Gerais; Foi Secretário de Planejamento e Coordenação Geral e  de Comércio, Indústria e Mineração; e de Minas e Energia do Governo de Minas Gerais; Também foi Diretor-Geral (Reitor) do Centro Universitário Estácio de Sá de Belo Horizonte; Ex-Presidente do IBEF Nacional – Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças e da ABDE-Associação Brasileira de Desenvolvimento; Atualmente é Coordenador Geral do Fórum JK de Desenvolvimento Econômico; Presidente da ASSEMG-Associação dos Economistas de Minas Gerais.  Presidente da MinasPart Desenvolvimento Empresarial e Econômico, Ltda. Vice-Presidente da ACMinas – Associação Comercial e Empresarial de Minas. Presidente/Editor Geral de MercadoComum. Autor de vários livros, como a coletânea intitulada “Juscelino Kubitschek: Profeta do Desenvolvimento”.

 

_____________________________________________________________________________

Betania Tanure Associados

Consultoria em desenvolvimento empresarial, com foco em cultura, liderança e resultados

Casa Meva Decor Fábrica de Tapetes

Voando BemEspecialistas em resolver problemas de voo

Dra. Priscila Cartaxo – Dermatologista em Belo Horizonte

DR. FREDERICO CARTAXO – Nutrologia e Medicina do Esporte

Top English – Escola de inglês online

Top English – Escola de inglês online no Brasil

As Melhores Baterias Automotivas para Seu Veículo em BH

Fábrica de Tapetes. Tapetes para sala, quarto, corredor, escritório, tapetes impermeáveis e antiderrapantes.

Construa sua Presença Online com Excelência | Quebrando Tabus

Projeto de arquitetura e design |Mozart Vidigal & Cristina Salles

Produtos do Galão Oficial CLUBE ATLÉTICO MINEIRO

Desconto Conta de Luz da Cemig

Tráfego orgânico MercadoComum bY SEO MUNIZ 25.6-milhoes
Tráfego orgânico MercadoComum bY SEO MUNIZ 25.6-milhoes

De acordo com estatísticas do Google Analytics Search a publicação MercadoComum

John Mueller - Google I/O John coordinates Google Search Relations efforts as a Search advocate. He and his team connect the Google-internal world of Search engineering e Marcos Muniz @seo_muniz
John Mueller – Google I/O
John coordinates Google Search Relations efforts as a Search advocate. He and his team connect the Google-internal world of Search engineering e Marcos Muniz @seo_muniz

Rota

Sua localização:

Mercado Comum: Jornal on-line - BH - Cultura - Economia - Política e Variedades

Rua Padre Odorico, 128 – Sobreloja São Pedro
Belo Horizonte, Minas Gerais 30330-040
Brasil
Telefone: (0xx31) 3281-6474
Fax: (0xx31) 3223-1559
Email: revistamc@uol.com.br
URL: https://www.mercadocomum.com/
DomingoAberto 24 horas
SegundaAberto 24 horas
TerçaAberto 24 horas
QuartaAberto 24 horas
QuintaAberto 24 horas
SextaAberto 24 horas
SábadoAberto 24 horas Abra agora
Anúncio