Economia de Minas volta a crescer em níveis inferiores à taxa média nacional
Economia de Minas volta a crescer em níveis inferiores à taxa média nacional
Economia de Minas volta a crescer em níveis inferiores à taxa média nacional

PIB mineiro sobe apenas 0,9% no primeiro trimestre de 2023, destoando da média nacional que atingiu  1,9% no mesmo período

Valor bruto estimado chegou a R$ 228,7 bilhões, impulsionado por bons resultados, sobretudo, do setor agropecuário, que cresceu 10% 

Carlos Alberto Teixeira de Oliveira*

A economia mineira apresentou evolução de 0,9% no primeiro trimestre de 2023, depois de dois trimestres consecutivos de retração. Nos três primeiros meses deste ano, o Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais foi estimado em R$ 228,7 bilhões.


A performance favorável da produção de soja e do minério de ferro impulsionou os resultados, que foram apresentados e analisados pela Fundação João Pinheiro (FJP) durante evento ocorrido no dia 15 de junho.

Economia de Minas volta a crescer em níveis inferiores à taxa média nacional a

Em Minas Gerais, o Valor Adicionado Bruto (VAB), que representa o valor que cada setor da economia acresce ao número final de tudo que foi produzido em uma região, totalizou em R$ 203,1 bilhões, e, na composição associada às atividades, o setor agropecuário foi responsável por R$ 15 bi (7,4% do total); a indústria, por R$ 56,3 bi (27,7% do total); e os serviços, por R$ 131,8 bilhões (64,9% do total), também em referência ao primeiro trimestre de 2023.


Agropecuária se destaca

Após desaceleração no último trimestre de 2022, em Minas e no Brasil, devido a problemas climáticos que resultaram na quebra da safra de soja, o setor foi um dos responsáveis pela evolução do PIB do estado nos três primeiros meses de 2023. Isso ocorre, principalmente, pela recuperação na produção de grãos, com previsão de safra recorde no cenário nacional.


A soja representa 46% do valor de produção da pauta agrícola nacional de acordo com o Levantamento Sistemático de Produção Agrícola (LSPA), do IBGE, com previsão de aumento de 24,7% anualmente.


Em Minas Gerais, a atividade agropecuária apresentou expansão de 10% no primeiro trimestre no ano, comparada aos últimos três meses de 2022. Somente a soja tem previsão de aumento de 6,3%.

*Economista – Presidente da ASSEMG – Associação dos Economistas de Minas Gerais e Editor Geral de MercadoComum

Mais setores

A produção de minério de ferro foi outra atividade econômica que contribuiu para expansão do PIB mineiro e do brasileiro nos três primeiros meses de 2023. O segmento apresentou crescimento de 4,2% em Minas Gerais, na comparação do primeiro trimestre de 2023 com o último trimestre de 2022, e de 19,9% com o mesmo trimestre do ano passado.

No estado, a atividade de energia e saneamento apresentou evolução de 1% no primeiro trimestre de 2023 em relação ao trimestre imediatamente anterior. Já o comércio evoluiu 0,6% em comparação com os três últimos meses de 2022.


Ainda em Minas Gerais, o setor da administração pública expandiu-se 0,3% no primeiro trimestre do ano.


 O setor indústria de transformação, formado, por exemplo, pelas indústrias de veículos automotores e farmacêuticas, apresentou queda de 0,4% em Minas Gerais, valor, no entanto, menor que a retração nacional, de 0,6%.


Já o setor da construção civil apresentou queda de -0,1%, comparando os três primeiros meses de 2023 imediatamente com os três últimos meses de 2022. Isso porque houve considerável retração na fabricação de minerais não metálicos, como os próprios insumos para o setor. No Brasil, a queda foi de -0,8%.


Por fim, os chamados outros serviços apresentaram queda de -0,1% no primeiro trimestre deste ano comparado com o último trimestre de 2022 no estado. Eles incluem, por exemplo, atividades voltadas para o consumo das famílias, como serviço doméstico e recreações, e para o consumo das empresas, como serviços de informação e 

comunicação.

Composição do PIB de Minas Gerais – 1TR 2023

Agropecuária:7,4%

Indústria: 27,7%

Serviços: 64,9%

Total: 100,00%

O PIB de Minas Gerais no primeiro trimestre de 2023 foi estimado em R$ 228,7 bilhões e representou 8,9% do PIB nacional no trimestre analisado (Gráfico 3) – representando uma queda de participação de 0,2 pontos percentuais no período. Do valor do PIB estimado no trimestre de referência, R$ 25,6 bilhões dizem respeito aos impostos indiretos líquidos de subsídios e R$ 203,1 bilhões referem-se ao Valor Adicionado Bruto (VAB). Em Minas Gerais, na composição setorial relativa ao primeiro trimestre de 2023, o VAB agropecuário foi responsável por R$ 15,0 bilhões (7,4% do total); o da indústria, por R$ 56,3 bilhões (27,7% do total); e o dos serviços, por R$ 131,8 bilhões (64,9% do total).

MINAS GERAIS X BRASIL – TAXA ANUAL DE CRESCIMENTO DO PIB – PRODUTO INTERNO BRUTO2011/2022 – Em %

Ano Minas Gerais Brasil

2001 -0,12 1,39

2002 3,73 3,05

2003 2,13 1,14

2004 5,89 5,76

2005 4,02 3,20

2006 3,91 3,96

2007 5,53 6,07

2008 4,68 5,10

2009 -3,92 -0,13

2010 9,08 7,53

2011 2,48 3,97

2012 3,33 1,92

2013 0,47 3,00

2014  -0,70 0,50

2015 -4,26 -3,55

2016 -2,00  -3,27

2017 1,66 1,32

2018 1,33 1,78

2019 -0,011,22

2020  -3,03  -3,28

2021 4,93  4,99

2022 3,49 2,90

*Anos em que a economia de MG teve desempenho

pior do que a brasileira

Os dados de 2021 e 2022 são preliminares

Fonte: IBGE/FJP – Elaboração: MinasPart Desenvolvimento

Nos 22 anos decorridos deste século XXI, em doze deles a variação da taxa do  PIB – Produto Interno Bruto de Minas Gerais teve desempenho pior do que a média nacional (2001, 2006, 2007, 2008, 2009, 2011, 2013, 2014, 2014, 2018, 2019 e 2021). Isto significa, literalmente, que a economia estadual cresceu menos do que a média de todos os estados brasileiros nos referidos anos.

Já nos quatro anos iniciais do governo Romeu Zema – 2019 a 2022, a economia de Minas Gerais não conseguiu se desvencilhar do aprisionamento ao já histórico crescimento inferior à média nacional deste século XXI pois, enquanto o PIB brasileiro registrou um aumento médio anual de1,46% e acumulado de 5,77%, o do estado ficou restrito a uma expansão média anual de 1,35% e acumulada de 5,29% no mesmo período.

Os estudos preliminares indicam que o PIB de Minas Gerais, em 2022, totalizou R$ 924,7 bilhões – equivalente a US$ 179,12 bilhões. O documento foi apresentado pela Fundação João Pinheiro, responsável pelo cálculo oficial do Produto Interno Bruto do estado, durante coletiva à imprensa, no dia 16 de março último. As informações são parte do Informativo FJP – Contas Regionais – PIB MG – 4º trimestre de 2022,  disponível no site da instituição.

Mercado Comum: Jornal on-line - BH - Cultura - Economia - Política e Variedades

Rua Padre Odorico, 128 – Sobreloja São Pedro
Belo Horizonte, Minas Gerais 30330-040
Brasil
Telefone: (0xx31) 3281-6474
Fax: (0xx31) 3223-1559
Email: revistamc@uol.com.br
URL: https://www.mercadocomum.com/
Anúncio